Notícias

Seminário Internacional
Richard Howitt
CEO do IIRC
14/03/2017 - 09h00 - Rio de Janeiro - RSVP
15/03/2017 - 09h00 - São Paulo - RSVP

Boletim do IIRC - Edição de Fevereiro 2017

Aprovação significativa do Relato Integrado pela Federação Internacional de Contadores (IFAC)

A Federação Internacional de Contadores (IFAC) publicou um artigo afirmando que o "Relato Integrado é o caminho para um sistema de relato corporativo mais coerente, suprindo a necessidade de um relatório único que ofereça um panorama mais completo da capacidade de uma organização de criar valor ao longo do tempo."

O artigo mostra o forte apoio da IFAC ao IIRC e à implementação da Estrutura do . Ele declara que a IFAC "acredita que o relato integrado pode ser usado como um relatório que serve como um ‘guarda-chuva‘ do amplo espectro de relatórios e comunicações de uma organização, permitindo uma maior interligação entre diferentes relatórios".

Ao comentar essa declaração, Richard Howitt, CEO do IIRC, disse:

"Este novo artigo de posicionamento da Federação Internacional de Contadores representa uma aprovação muito significativa do Relato Integrado. A IFAC reconhece a fragmentação que surge da emissão de diferentes relatórios pelas empresas de capitais distintos. Ela vê adequadamente o Relato Integrado como o ‘guarda-chuva‘ para outros tipos de relatório, precisamente da mesma maneira que as empresas e os investidores na coligação do IIRC o fazem. A IFAC é uma organização global modelo e de perspectiva visionária - que defende uma direção clara para o relato corporativo e outras inovações. Ficamos muito entusiasmados que a IFAC tenha tanto adotado esse novo posicionamento, como reconhecido o papel de liderança que contadores profissionais podem assumir em seu avanço. Estamos ansiosos por continuar trabalhando em estreita colaboração com a IFAC e os representantes da profissão de contador para assegurar que o Relato Integrado se torne a norma global no ambiente corporativo".

A Comissão de Valores Mobiliários da Índia (SEBI) pede que as 500 empresas mais importantes da Índia adotem o Relato Integrado

A Comissão de Valores Mobiliários da Índia (SEBI) publicou uma circular pedindo que as 500 empresas mais importantes da Índia adotassem o Relato Integrado. O IIRC acolheu este anúncio com Richard Howitt, CEO do IIRC, dizendo: "Esta circular oficial do órgão regulador de valores mobiliários da Índia para as 500 principais empresas do país é outro avanço para o Relato Integrado, não só na Índia, mas internacionalmente.

"Ele passa uma mensagem muito clara de que o atual ‘Relatório de Responsabilidade Corporativa‘ realizado por essas empresas é o ponto de partida para um relatório totalmente integrado, com o objetivo claro de criação de valor a longo prazo, como defendido na Estrutura Internacional do ".

"Esta ação da SEBI coloca o relato corporativo no cerne da história atual de inovação e reforma na economia indiana. As condições para a adoção do Relato Integrado foram criadas pelo incentivo da SEBI a um Laboratório do , que é realizado pela Confederação das Indústrias Indianas (CII), e que tem visto algumas das principais empresas da Índia testar e implementar o Relato Integrado.

"Esta declaração da SEBI de que o Relato Integrado é consistente com os princípios da Organização Internacional das Comissões de Valores (IOSCO) e encorajando as empresas indianas a referenciar o Relato Integrado em seus relatórios anuais e em seus sites são decisões dignas de nota. Essa iniciativa estimulará a adoção na Índia e pode ser copiada por outros países. O Conselho Internacional para o Relato Integrado (IIRC) agradece e parabeniza a SEBI por esse desenvolvimento histórico".

Richard Howitt visitou a Índia em janeiro de 2017 para se reunir com líderes de mercado que estão encabeçando a adoção do Relato Integrado na região. Enquanto na Índia, Richard Howitt fez a palestra inaugural na 4ª Conferência de Responsabilidade Corporativa da Ásia organizada pelo Centro Asiático de Governança Corporativa e Sustentabilidade, em que líderes empresariais consideraram como a adoção de uma abordagem integrada em seus relatórios pode ajudar a superar questões de governança corporativa.

Ao comentar sobre sua visita Richard disse: "Estou perfeitamente ciente de que este é um momento auspicioso para a economia da Índia - uma economia que está subindo nos rankings de classificação de empresas e atraindo capital internacional mais do que nunca. É claro que a Índia está se tornando mais competitiva e é cada vez mais vista pelo resto do mundo como um país aberto aos negócios. O Relato Integrado pode dar suporte a isso. A comunicação clara e concisa das dimensões social, humana, intelectual, natural e financeira dos negócios e como elas contribuem para a criação de valor é um conceito que está sendo difundido por toda a Ásia. Da Índia ao Sri Lanka, de Singapura à Malásia, Japão e China, empresas de liderança estão adotando o Relato Integrado para se comunicar de forma clara e concisa".

O Fórum Econômico Mundial considerou a Índia como o país com a evolução mais rápida em termos do Índice de Competitividade Global e o Relatório de Investimento Mundial da ONU coloca a Índia em terceiro lugar globalmente como um destino de investimentos estrangeiros. O IIRC trabalha em estreita parceria com a Confederação das Indústrias Indianas (CII) para fornecer orientação e apoio às empresas na estrada rumo ao Relato Integrado, à medida que elas incorporam o pensamento de longo prazo e uma visão mais ampla da criação de valor. As principais empresas adotando o Relato Integrado incluem a Tata Power, a ITC e o Yes Bank.

O treinamento no desenvolve habilidades individuais e constrói a capacidade das organizações de implementar o Relato Integrado.

O treinamento agora está sendo oferecido em todo o mundo pelos nossos Parceiros do - saiba mais sobre as próximas sessões.

A China segue na direção do Relato Integrado

O Ministério das Finanças da China se comprometeu a participar ativamente dos trabalhos do Conselho Internacional para o Relatório Integrado, aumentar a influência da China na formação das regras [em parceria com a] Estrutura Internacional do Relato Integrado... [e] continuar a pesquisar a aplicabilidade e a viabilidade do Relato Integrado na China’.

A declaração faz parte do Plano de Ação do Ministério para reformar e desenvolver a contabilidade [setor] no contexto do 13º plano de cinco anos’. Ele foi apresentado quando o Ministério das Finanças da China se associou ao Conselho do IIRC, um sinal do crescente interesse na evolução do relato corporativo na China.

Uma série de empresas na Grande China começou a usar a Estrutura do e a CGN Power, a maior empresa de energia nuclear na China continental, adotou o Relato Integrado para coincidir com sua listagem em Hong Kong, em novembro de 2014. A CGN afirmou que está adotando o Relato Integrado, porque ele ajuda a empresa a refletir sobre sua estratégia futura e construir um diálogo de longo prazo com as partes interessadas. Em seu último relatório anual, a CGN declarou: "Continuamos adotando a Estrutura Internacional do Relato Integrado, para explicar na íntegra às partes interessadas relacionadas como a empresa criará valor para os acionistas no curto, médio e longo prazo com base no planejamento estratégico, governança corporativa e desempenho empresarial".

Ao comentar sobre a evolução na China, Jonathan Labrey, Diretor de Estratégia do IIRC disse: "A China está passando por uma rápida evolução, um elemento-chave disso é sua adoção do globalismo como forma de aumentar sua influência econômica no século XXI. O discurso do presidente Xi para o Fórum Econômico Mundial em janeiro salienta o compromisso da China em participar de iniciativas internacionais e estamos muito satisfeitos que, como parte desse engajamento, o Ministério das Finanças nomeou um representante, Dr. Lin Zhu, para fazer parte do nosso Conselho.

"Como muitas outras empresas chinesas buscam financiamento e expansão internacional, elas se beneficiarão de uma governança corporativa e normas de emissão de relatórios aceitas globalmente. O Relato Integrado está se tornando uma parte importante desse panorama. Estamos ansiosos por trabalhar com o Ministério das Finanças e outras partes interessadas na China para apoiar essa evolução na prática".

O antigo vice-presidente do Conselho de Normas Internacionais de Contabilidade (IASB), Ian Mackintosh, é nomeado como o novo presidente do Diálogo do Relato Corporativo

Os participantes do Diálogo do Relato Corporativo anunciaram Ian Mackintosh como o próximo Presidente do Diálogo. Mackintosh deixou o cargo de Vice-Presidente do Conselho de Normas Internacionais de Contabilidade (IASB) em junho de 2016 depois de cinco anos no cargo e tem mais de 30 anos de experiência em definição de normas tanto em âmbito nacional como internacional. Ele lançará mão dessa experiência para levar mais eficiência e eficácia ao panorama do relato corporativo globalmente por meio do trabalho do Diálogo.

O Diálogo é uma iniciativa desenhada para responder às demandas do mercado por maior coerência, consistência e comparabilidade entre estruturas do relato corporativo, normas e requisitos relacionados. O Diálogo reúne organizações que têm influência internacional significativa no panorama do relato corporativo. Ele é convocado pelo Conselho Internacional para o Relato Integrado e reúne o CDP, o Conselho de Normas para Divulgações relacionadas com o Clima, o Conselho de Normas de Contabilidade Financeira, a Global Reporting Initiative, o Conselho de Normas Internacionais de Contabilidade, a Organização Internacional para Padronização e o Conselho de Normas de Contabilidade e Sustentabilidade.

Ian Mackintosh assume o cargo de Huguette Labelle, a ex-Presidente de Transparência Internacional, que presidiu o Diálogo desde seu início em junho de 2014. Labelle supervisionou o lançamento do Mapa do Panorama do Relato Corporativo, que disponibiliza uma navegação simples das iniciativas do relato corporativo, bem como o desenvolvimento da declaração de princípios comuns de materialidade, que compara definições e abordagens de materialidade dos participantes do Diálogo. Os conceitos neste artigo representam os princípios fundamentais comuns, que se acredita que sejam amplamente consistentes com todas as formas de desenvolvimento de normas e emissão de relatórios corporativos para as partes interessadas.

Comentando sobre sua nomeação, Ian Mackintosh disse: "Sinto-me honrado por ter sido nomeado presidente do Diálogo do Relato Corporativo. Acredito que o Diálogo é importante por muitas razões. Ele reúne vários dos principais definidores de normas e desenvolvedores da estrutura para que eles entendam melhor uns aos outros e seus desenvolvimentos mais recentes, para que possam, na medida do possível, alinhar seu trabalho, compartilhar seus pensamentos e expressar uma voz comum em áreas de interesse mútuo. O objetivo geral é melhorar a eficiência e a eficácia do relato corporativo, conseguindo que os participantes trabalhem juntos, tanto quanto possível.

"Seguindo adiante, eu gostaria de acrescentar à base sólida que a Presidente anterior, Huguette, pôs em prática e promover o engajamento com uma comunidade mais ampla para alcançar nossos objetivos".

Uma das primeiras medidas que o Diálogo tomará sob a presidência de Ian Mackintosh será responder conjuntamente às recomendações da Força-tarefa do Conselho de Estabilidade Financeira em Divulgações Financeiras Relacionadas com o Clima. As recomendações incluem uma solicitação da Força-tarefa para que os participantes do Diálogo "apoiem a adoção das recomendações e o alinhamento com as divulgações recomendadas".

Comentando sobre a nomeação de Ian Mackintosh e o papel importante que o Diálogo tem a desempenhar, Huguette Labelle declarou: "Desde que o Diálogo do Relato Corporativo foi lançado em junho de 2014, vi progressos importantes no sentido de conseguir alinhamento por meio da participação em projetos que oferecem suporte a um sistema de relato corporativo mais coerente. O Diálogo revelou-se um importante meio de facilitar a discussão dos padrões e estruturas mais amplamente adotados no mundo nesse campo e suscitar esforços reais para dar maior clareza a desenvolvedores e usuários do relato corporativo.

"Estou orgulhosa das nossas realizações e de agora estar passando a responsabilidade para meu sucessor. Ian Mackintosh tem uma grande experiência nesse campo e acredito que ele seja a pessoa certa para dirigir essa agenda e fomentar uma mudança real em busca de maior coerência, consistência e comparabilidade entre as estruturas do relato corporativo e das normas".

Richard Howitt, diretor executivo do Conselho Internacional para o Relato Integrado disse: "Como os principais desenvolvedores de estruturas e definidores de padrões no mundo de hoje, os participantes do Diálogo do Relato Corporativo têm a responsabilidade de gerar alinhamento na emissão de relatórios em benefício dos mercados ao redor do mundo. A indicação de Ian Mackintosh como presidente trará energia renovada para esses esforços e o Conselho Internacional para o Relato Integrado está empenhado em trabalhar com Ian e outros participantes para fazer progressos reais para que as organizações possam comunicar de maneira eficaz sua história de criação de valor."

Respondendo às recomendações da Força-tarefa do Conselho de Estabilidade Financeira em Divulgações Financeiras Relacionadas com o Clima

O IIRC acolhe satisfatoriamente a recomendação de que as empresas devem ‘integrar‘ sua gestão de risco, face à ameaça das alterações climáticas feita no relatório da Força-tarefa do FSB em Divulgações Financeiras Relacionadas com o Clima, publicado em dezembro de 2016. O IIRC acredita que o real combate às mudanças climáticas só pode ser alcançado aumentando o horizonte de divulgação.

Estamos empenhados em apoiar os esforços para alinhar as recomendações da Força-tarefa com tentativas existentes de melhorar a governança corporativa, estendendo a responsabilidade pela gestão de recursos e relacionamentos múltiplos e interligados. A implementação dessas recomendações deve levar a um realinhamento fundamental da tomada de decisões e de comportamentos e investimentos corporativos, além de agir como um catalisador para um sistema de comunicação corporativo mais coeso e alinhado.

O IIRC responderá às recomendações estabelecendo cinco pontos-chave:
1. Inclusão nas principais divulgações financeiras
2. Maior ênfase na criação de valor, bem como no risco financeiro
3. Gestão de riscos eficaz
4. Alinhamento do panorama do relato corporativo
5. A oferta do movimento do IIRC para apoiar a implementação.

Para mais detalhes sobre a resposta do IIRC, acesse o site do IIRC.

O IIRC está trabalhando como um participante do Diálogo do Relato Corporativo - que reúne os oito principais definidores de normas e desenvolvedores de estruturas globalmente - para apresentar uma resposta conjunta às recomendações. Isso está de acordo com o incentivo da Força-tarefa às organizações emissoras de relatórios para que elas "apoiem a adoção das recomendações e o alinhamento com as divulgações recomendadas".

Nós incentivamos todos os parceiros interessados a responder a essa consulta importante.

O IIRC aumenta a colaboração com organizações chave para a evolução do relato corporativo

O IIRC continua trabalhando em estreita colaboração com os principais parceiros, o que é essencial para nossa visão e missão. Nos últimos meses, nós renovamos uma série de Memorandos de Entendimento (MoUs) com definidores de normas e estruturas e organizações que agem como um guarda-chuva. O IIRC tem agora MoUs com o CDP, a Global Reporting Initiative, a IFRS Foundation, a Federação Internacional de Contadores, o Conselho de Normas de Contabilidade e Sustentabilidade (SASB), a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) e o Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (WBCSD). A colaboração com essas organizações é crucial para o desenvolvimento do panorama do relato corporativo ao redor do mundo e para a construção do ritmo e da escala de adoção do .

Continuamos desenvolvendo nossos programas de trabalho com essas organizações, juntamente com nossos muitos outros parceiros importantes. Dessa forma, podemos garantir que nossas parcerias levem a resultados tangíveis e a um maior alinhamento.

Richard Howitt, CEO do IIRC, foi convidado a fazer uma apresentação para os Curadores da IFRS Foundation em sua reunião em Paris. Isso proporcionou uma oportunidade de reforçar a importância do relato financeiro no contexto do Relato Integrado e de acolher o alinhamento contínuo. Recebemos satisfatoriamente o comentário recente de Hans Hoogervorst, Presidente do IASB, à Comissão dos Assuntos Econômicos e Monetários (ECON) do Parlamento Europeu, afirmando que o IASB está considerando o papel do Relato Integrado como parte de seu tema de comunicação melhorada.

O WBCSD recebeu Richard Howitt para as reuniões do Fórum Econômico Mundial em Davos em janeiro de 2017, quando ele falou no lançamento do novo relatório do WBCSD ‘Sustentabilidade e gestão de riscos empresariais: O primeiro passo para a integração‘. O IIRC acolheu esta publicação importante e oportuna que destaca o papel que o Relato Integrado pode desempenhar em trazer uma nova visão quanto à consideração dos riscos.

Recentemente, concordamos em trabalhar com o GRI em um programa para o Grupo de Liderança Corporativa em Relato Integrado - uma oportunidade para empresas que estão buscando adotar tanto a sustentabilidade como o Relato Integrado.

A IFAC também estabeleceu um padrão para os nossos parceiros, mais recentemente, ao publicar um documento de políticas (vide o artigo acima).

Publicações recentes para ajudá-lo na implementação do Relato Integrado:

Apresentamos aqui um resumo das publicações mais recentes que ajudarão você e a sua organização a progredir no Relato Integrado:

• ‘Valor do valor: Insights em nível de conselho‘ Associação Internacional de Contabilistas Profissionais Certificados (AICPA), Black Sun e IIRC
• ‘Divulgação do desempenho versus objetivos estratégicos‘ Comitê para o Relato Integrado da África do Sul
• ‘Relato Integrado: Incentivando e comunicando a criação de valor‘ Compagnie nationale des commissaires aux comptes and the institut francais de l‘audit et du controle internes (Versão para o inglês)
• ‘Grupo de trabalho do mercado sobre a noção de criação de valor pelas empresas e as formas associadas de reporte‘ Europlace
• ‘Política de governança corporativa na União Europeia pela perspectiva do investidor‘ CFA Institute
• ‘Relato Integrado: Conectando estratégia, propósito e valor‘ EY
• ‘Sustentabilidade e gestão de risco corporativo: O primeiro passo rumo à integração‘ e ‘Assuntos de Reporte ‘ Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável.
• ‘Triângulos, Números e Narrativas‘ BSR
• ‘Reportando seu modelo de negócios‘ e ‘Um pé no passado e um olho no futuro‘ PwC.
• ‘O Relato Integrado rumo à maturidade‘ Deloitte.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Artigos mais recentes:

Stratton Craig: ‘Realinhamento dos mercados de capital para adequação às necessidades atuais

Forbes: ‘Por que o sucesso da empresa recai sobre o pensamento integrado‘, entrevista com Susanne Stormer da Novo Nordisk

Richard Howitt, CEO do IIRC na International Accounting Bulletin: ‘Iniciativas de Davos podem abordar o déficit de confiança

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Blogs recentes:

‘Avaliando Relacionamentos: uma rota para vantagens competitivas e risco reduzido
Professor Mervyn King

Descoberta de Qualidade e o
Sebastien Thevoux-Chabuel, Analista de ESG e Gestor de Portfólio, Comgest

A importância do Relato Integrado para a tomada de decisões internamente
Nick Shepherd, Maturity Institute

Capital Relacional - E daí?
Tim Young, Renuma Ltd

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Novos exemplos agregados ao Banco de Dados de Exemplos do neste mês incluem SANLAM e TVEL

Consulte o banco de dados para saber sobre os exemplos mais recentes de melhores práticas emergentes.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------